Abismo

Entre o pensar e o fazer, o abismo.
De filiação desligada, reconheço
O limite que me separa.
Se pensar, por si só, demarca
Verdadeira existência,
Talvez.


Não me bastou.
De joelhos gastos, o abismo
Outra existência me retirou.
Não lhe conheço extremos,
Bruma parda que criei
E me criou.
Queria ver para além do abismo,
Viver outra existência.
Mentalmente sou
A minha prisão.

 

Escrito em 2015

De: Metaforicamente e outros poemas

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s